Ao chegarmos aoTemplo Escola Caboclo Tupinambá e Vovó Benedita, devemos sempre saudar a porteira que é a guarda da casa que se encontra à esquerda da entrada do Terreiro. E como fazemos isso? Usa-se a expressão “Laroiê Exu! Exu a mojubá!”. Que demonstra o nosso respeito a toda a força de atuação dos nossos queridos Guardiões. Você pode cruzar os dedos e virando as palmas da mão para o chão dizendo essa saudação. Ou pode também parar de frente abrir os braços e depois virar de costas e também abrir os braços, saudando e pedindo a proteção aos guardiões. Dentro dessa casinha encontramos as imagens correspondentes ao Sr. Zé Pelintra, o Guardião da Meia Noite, a Cigana Esmeralda, Dona Maria Padilha, Dona Maria Molambo e outras.

Devemos também saudar o Cruzeiro das Almas que em nossa casa fica à direita da entrada do Terreiro. Usa-se a expressão “Adorei a Almas” “É para as Almas”. Lá está toda a confraria das Almas. Também temos dentro do Cruzeiro as imagens correspondentes da Vovó Benedita de Aruanda, Pai Benedito, Pai Antônio e outros. Todos os guias que pertencem à linha das Almas (Pretos Velhos, Baiano…).

Dentro do Templo, devemos nos manter em atitude de respeito e fazendo o máximo de silêncio possível. Quando formos falar com alguém, devemos nos dirigir em voz baixa. Sempre pensamentos positivos. Essa atitude manterá a vibração elevada.

A Umbanda é uma religião alegre, então cante, bata palmas, tudo dentro do máximo respeito.

 

A GIRA:

A gira é o momento do culto, aos Orixás e a todos os guias que vem nos auxiliar nesse trabalho de caridade. Vejamos alguns momentos da gira:

 

Defumação:

É importante, pois a fumaça exalada pelo defumador ajuda a limpar o ambiente. Cantar o ponto nesse momento também é importante para elevar a vibração. A fumaça exalada do defumador representa nossas orações que elevamos ao alto e são recolhidas pelas entidades e levadas ao Trono de Olorum.

 

Saudação aos Guardiões.

 

Saudação a Oxalá (Epa Babá).

Saudamos ao Orixá maior, Oxalá. Sem a permissão de Oxalá não se faz nada.

Oxalá, meu pai

Tem pena de nós, tem dó

A volta do mundo é grande

Seu poder é bem maior.

A estrela matutina

No céu brilhou

E a força de Oxalá

Nesse Congá entrou”

 

Saudação aos Orixás da terra e do fogo.

Saudamos todos os Orixás que têm sua vibração na terra e no fogo e o Orixá Tempo, que tem sua vibração no elemento ar.

Salve Tempo

 

Kaô Kabiecile, meu pai Xangô

“Xangô, se ele é o rei lá na pedreira

Senhor do meu destino até o fim

Se um dia eu perder a fé no meu senhor

Que role essa pedreira sobre mim

Meu pai Xangô”

 

 Ogunhê

“Eu tenho 7 espadas pra me defender

Eu tenho Ogum em minha companhia

Ogum é meu pai

Ogum é meu guia

Ogum é meu pai

E eu sou filho da Virgem Maria”

 

Epa hey, minha mãe Iansã

“Mas Iansã é uma moça bonita

Mas ela é dona do seu jacutá

Eparrei, eparrei, eparrei

A mamãe de aruanda segura a sua banda que eu quero ver”

 

Atotô, Obaluaiê:

“Meu pai Oxalá é o rei

Venha me vale

O velho Omolu, Atotô, Obaluaiê

Atotô Obaluaiê, atotô babá

Atotô Obaluaiê, atotô é orixá”

 

Ewé, Ossãe

 

Saudação à Ibejada

“Fui no jardim colher as rosas

E a vovozinha deu-me a rosa mais formosa

Cosme eDamião, oh Doum

Crispim e Crispiniano são os filhos de Ogum

 

Saudação às Almas (Adorei as Almas):

“Eu vi um clarão na mata

Eu pensava que era dia

Mas eram as almas, mas eram as almas

Mas eram as almas com o rosário de Maria”

 

Saudação aos Caboclos (Okê Caboclos)

“Foi numa tarde serena

Lá nas matas da Jurema

Eu vi o caboclo bradar

Kio, kio, kio, kiera

Sua mata está em festa

Sarava seu Tupinambá Que ele é o rei da floresta

 

Bater cabeça:

Nas giras festivas, fazemos homenagem ao Orixá ou guia do mês. Um dos rituais de homenagem é o “bater cabeça”, no qual devemos encostar o chacra frontal e depois cada lado da cabeça, em sinal de reverencia e para captação da vibração do Orixá.

“Quem é você que é filho de Zambi?

Quem é você que é filho de fé?

Bata com a cabeça

E peça a Zambi o que quiser.”

 

Fazemos, também, o ímã referente ao Orixá e cantamos em sua homenagem.

 

Consulta:

É o momento em que seremos atendidos pelos guias que vêm ao nosso socorro. Devemos ter o cuidado de não nos apegarmos a futilidades, pois os guias não estão em terra para resolver problemas amorosos, de trabalhos, de intrigas, etc. Eles vêm para nos aconselhar no caminho do crescimento espiritual.

 

Mãe Maria:

Devemos o maior respeito a este espírito, que é de fundamental importância para a humanidade. Além de ser a mãe do Mestre Jesus, é uma das principais mentoras do planeta terra.

“Nossa mãe divina

Nossa mãe de amor

Celeste harmonia

Bela como a flor

Manda em nosso lares

As bênçãos de Deus

Rainha dos Mares

Da terra e do céu

Nos seus braços encontro

Toda paz e amor

Enxuga o meu pranto

Me alivia a dor”

Oxalá:

“Na toalha em que Jesus nasceu

Em cima dela eu me ajoelhei

Me abençoa, pai Oxalá, me abençoa

Me abençoa pelo amor de Deus”

 

Hino da Umbanda:

“Refletiu a luz divina

Em todo seu esplendor

Vem do Reino de Oxalá

Onde há paz e amor

Luz que refletiu na terra

Luz que refletiu no mar

Luz que vem de Aruanda

Para tudo iluminar

Umbanda é paz e amor

É um mundo cheio de luz

É força que nos dá vida

É à grandeza nos conduz

Avante, filhos de fé

Como a nossa lei não há

Levando, ao mundo inteiro

A bandeira de Oxalá”

Corrente da águas:

Neste momento, pedimos aos Orixás das águas que nos lave e levem embora todas as impurezas que ainda restarem no ambiente.

 

Odo iá, mãe Iemanjá

Saluba, Nana

Ora yê iê Mamãe Oxum

Arroboboy Oxumaré

 

Encerramento

Ao se encerrar a gira devemos voltar para casa, mantendo a vibração elevada. Refletindo em todo o ensinamento dado pelo guias e pelo aprendizado extraído do Evangelho e de todas as mensagens lidas durante a gira.

Devemos evitar sair da gira direto para lugares de baixa vibração. Recomenda-se que se vá diretamente pra casa e depois de um relaxamento ir a onde se queira.

 

Saudação aos guias da Umbanda

Preto Velho – Adorei as Almas

Caboclo    – Okê Caboclo

Marujo      – Aê Marujo

Baiano      – É pra Bahia

Boiadeiro – Xetruá Boiadeiro

Exu           – Laroiê Exu, Exu a mojubá

Pomba Gira – Gira girou, Pomba Gira